As mesmas barreiras que impomos podemos transpor

As mesmas barreiras que impomos podemos transpor

As mesmas barreiras que impomos podemos transpor e aqui está a prova disso.

Um muro de vigas metálicas separa Sunland Park no Novo México, Estados Unidos, e Colonia Anapra, uma comunidade na parte oeste de Ciudad Juárez, México.

Uma dupla de arquitectos, Ronald Rael e Virginia San Fratello, criou esta instalação de baloiços cor de rosa transfronteiriços para crianças (e crescidos) dos dois lados do muro conviverem, estabelecendo uma ponte onde havia uma divisão.

Para o divertimento acontecer são precisos dois, um de cada lado, estão interligados, interdependentes. Esta é uma afirmação artística por menos muros físicos (ou invisíveis ou artificialmente erguidos) e mais pontes (e balancés).

O amor vence todas as dificuldades

A boa vontade, a criatividade, o design e a solidariedade podem fazer milagres. Basta querer.

Se isto não é uma boa metáfora para os nossos dias….Ganhou agora o prémio Design do Ano 2020, anuncia o The Guardian aqui: https://www.theguardian.com/…/pink-seesaws-across-us…

Contributo de #Joanasimoespiedade

 

One Reply to “As mesmas barreiras que impomos podemos transpor”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *