Nunca é tarde para mudar

A “Deia” ganhou, finalmente, coragem para se voltar a mostrar à frente da objetiva.

Até aqui, raramente aparecia numa fotografia, ou geralmente justificava a sua ausência com um “alguém tem de registar o momento”.

Depois de largos meses a dizer-lhe que podia ter jeito para contar a sua viagem de superação, mandou-me uma mensagem. Muito orgulhosa da sua atitude, ainda desconfiei que me desse permissão para vos fazer chegar a sua história, a sua aventura para perder peso e devolver dignidade à sua autoestima, há muito conformada com o corpo que tinha.

Desde que a conheço sempre a vi com um sorriso na cara e uma gargalhada estridente, audível e capaz de contagiar até os mais céticos de uma boa risada. E agora, mais ainda…

“Bom Dia! 😊

Hoje apeteceu-me mostrar-vos a minha evolução… 🦋 Fiz uma cirurgia de bypass, no passado dia 6 de julho, no Hospital dos Lusíadas, pelas mãos do Dr. Ângelo Ferreira. Até agora tenho tido dias santos. O meu corpo aceita bem toda esta mudança e o desconforto é pouco ou quase nenhum. As únicas dores que tive foram mesmo durante o recobro, quando acordei da cirurgia, mas depressa passaram”. 

Antes de ser operada, “Deia” pesava 142Kg. Os desconfortos eram imensos e, com filhos pequenos, sentia cada vez menos capacidade para os acompanhar nas suas brincadeiras e atividades. Nunca se deixou ficar sempre que ouvia uma “boca” relativa ao seu peso ou ao seu tamanho, mas no fundo, as mágoas, as feridas iam ficando recalcadas dentro de si.

Casada, com um homem extraordinário que se mantém ao seu lado (e que agora dá conta da quantidade de selfies que ela já tira, demonstrando o seu orgulho na renovação da sua beleza física), formam um casal feliz que, da sua união fizeram a força para esta mudança radical.

“Iniciei todo este processo em setembro de 2019, fiz todos os exames necessários (endoscopia, raio x ao torax, análises, Estudo de Trânsito Esofágico e ecografia abdominal), voltei em Dezembro de 2019 para mostrar os exames pois foi detetada a bactéria da Pylori na minha endoscopia e sem a bactéria morta o Dr. Ângelo não me operava. Iniciei então um tratamento de 2 meses, em janeiro de 2020, mas com a pandemia tudo ficou em stand by até maio de 2021, quando retomei as consultas com o Dr. Ângelo Ferreira. Pelo meio, ainda tentei o serviço público, mas a espera era muito longa, apesar de eu já levar os exames todos feitos.
Retomei as consultas de cirurgia geral, e fiz as consultas de especialidade que são obrigatórias para esta cirurgia (Psicologia, Endocrinologia, Nutrição Clínica e Psiquiatria). Depois de ter o OK destas especialidades todas pudemos avançar então para a cirurgia. A última consulta que tive com o Dr. Ângelo foi feita em junho, para marcação da cirurgia e mostrar o resultado do exame respiratório da Pylori. Era preciso ver se tínhamos “morto a bicha” para avançarmos para a cirurgia nesse mesmo mês. Já não conseguia subir escadas sem ter que parar 2 a 3 x para respirar, uma simples caminhada por vezes tornava-se complicado, mas o que me fez sobretudo dar o click foi a falta de vontade de fazer as coisas, como simplesmente sair de casa ou brincar com os meninos”.

Mas mais do que uma mudança física, de aspeto visual tratou-se de uma decisão pessoal e médica para proteger a sua saúde, juventude e longevidade.

“Tomei a decisão de avançar para a cirurgia juntamente com o meu médico para prevenir eventuais doenças. Apesar de ser uma gordinha com saúde (a única coisa que tinha era colesterol 5 valores a cima do valor máximo e fácil de combater com medicação ou com uma dieta específica), o Dr. Ângelo achou por bem operar-me enquanto ainda sou jovem e com saúde para recuperar e passar por este processo”.

Os gordos são, geralmente pessoas bem dispostas e bem resolvidas quanto ao seu corpo, ao seu peso, à falta de roupa para o seu tamanho e até levam a vida de uma forma “conformada e descontraída.

“Sempre fui muito bem resolvida com o meu peso e tamanho e nunca tive problemas com isso, mas a falta de qualidade de vida já era muita, sobretudo no que toca a brincadeiras com os meninos. Isso afetou-me bastante e fez-me pensar em mudar! 

Hoje, 1 mês depois da operação e já tem menos 10.600kg.

“Aproveito para vos dizer que cada caso é um caso e cada pessoa adequa-se à sua maneira. Não desesperem por não verem logo resultados. O meu lema é…”Se não fosse a operação nunca conseguiria perder nem que fosse 1kg, numa semana! Até agora as minhas dietas têm corrido bem e tolero as alterações, sinto que agora na pastosa por vezes basta uma garfada e fico logo enfartada, mas lá está faz parte, afinal agora tenho o estômago de um bebé. Por vezes, fica difícil consumir água, mas adotei o sistema de beber por um copo pequeno e aos pouquinhos, tolero 50cl ainda não consigo ingerir o Litro que recomendam, mas vou tentando todos os dias. 💪🏻

Não desistam dos vossos sonhos, mesmo que eles pareçam impossíveis!

Cuidem de vocês e da vossa saúde, sobretudo.

Obrigado “Deia”

2 Replies to “Nunca é tarde para mudar

  1. Adorei o teu testemunho conheço te e sei a alegre e a bondosa pessoa que és. Desejo te tudo de bom para o teu futuro Mereces 😘 Beijinhos Deia fofinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *