Um pequeno sonho

Um pequeno sonho.

Num reino muito distante vivia um pequeno sonho.

Esse pequeno sonho não era novo nem velho, não era bom nem mau, não era simples nem complexo. Era apenas um pequeno sonho.

Umas vezes subia a montanha, outras ficava a ver o sol, outras ainda era um sonho atrevido.

Este pequeno sonho, sonhava um sonho de cada vez e apesar de se sentir realizado quando sonhava, carregava consigo um sonho mais profundo, mais intenso e grandioso. O nosso pequeno sonho, nesse reino muito distante, queria ser um mar de sonhos.

E para isso trabalhava, trabalhava e trabalhava afincadamente, sonhando cada vez mais e mais rápido. Ele era sol, montanha, flor, trovão, paz e guerra e sonhava, sonhava… até que um dia… SWITCHHHHHH…. Em mar de sonhos se tornou!

O pequeno sonho já não era pequeno, já nem era sonho, mas sim tantos sonhos quantos os que conseguiu sonhar. Nesse momento a felicidade que o alcançar de sonhos traz, invadiu todo o nosso mar. Era feliz, intenso e completo.

Há muito, muito tempo nesse reino distante lá vivia o nosso mar de sonhos que sonhava todos os sonhos ao mesmo tempo, até que um dia encontrou um pequeno sonho, que apenas sonhava em ser sempre pequeno. Ele trabalhava, trabalhava e trabalhava não para ser um mar, mas para ser sempre aquilo que já era.

Intrigado com este sonho, o nosso mar ali ficou como que hipnotizado com tamanha simplicidade. Como era possível um sonho não querer ser um mar e mesmo assim ser feliz, intenso e completo??

Ao ficar a contemplar tão grande estranheza, o nosso mar percebeu que o pequeno sonho de pequeno não tinha nada, pelo contrário, era tão grande quanto o mar de sonhos.

*Metáforas para refletir e debater

Berta Santos Xavier
Psicóloga Clínica
Natural do Huambo, Angola
[email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *